Galpão logístico: Como preveni-lo contra incêndio?

Com o aumento significativo dos e-commercers e do setor varejista, houve um crescimento na procura por galpões logísticos, já que estes melhoram o setor de armazenagem e otimizam a distribuição de produtos.

Mas devido a incidentes recentes em armazéns logísticos que ocorreram nos últimos anos, trouxeram a necessidade de abordar questões relacionadas à segurança contra incêndios.

Essas ocorrências ressaltam a importância de garantir a segurança contra incêndios e adotar medidas preventivas em locais de armazenamento.

Isso inclui a presença estratégica de extintores de incêndio, a instalação de sistemas de sprinklers e a implementação da compartimentação horizontal para separar setores e impedir que o fogo se alastre para as demais áreas do galpão.

Veja abaixo essas e outras dicas para proteger seu galpão logístico contra incêndio.

O que é e para quê serve um galpão logístico?

O galpão logístico é um espaço destinado à gestão dos processos logísticos da empresa relacionados ao armazenamento, tais como:

  • recepção de mercadorias;
  • estocagem;
  • picking;
  • distribuição para os consumidores finais.

Ele possui uma localização estratégica, com o objetivo de otimizar o despacho e o transporte de cargas.

Por exemplo, um produto enviado diretamente da fábrica em São Paulo levaria consideravelmente mais tempo para chegar a um cliente no Rio Grande do Sul, em comparação com um despachado de um armazém localizado no mesmo estado de destino.

Essa seria uma estratégia aplicável caso a empresa identificasse um aumento significativo de clientela na região do Rio Grande do Sul, e decidisse alugar ou adquirir um galpão logístico para armazenar mercadoria suficiente para atender a essa demanda.

Isso permitirá entregas mais ágeis aos clientes e possivelmente custos de frete mais baixos, fortalecendo assim a presença da empresa na região e impulsionando as vendas.

Além disso, a estrutura dos galpões é cuidadosamente planejada para garantir eficiência e maximizar o espaço, o que viabiliza o armazenamento de uma grande quantidade de mercadorias em um espaço consideravelmente pequeno, ao mesmo tempo que facilita a localização dos produtos.

Muitos galpões também são equipados com sistemas de controle de temperatura e umidade para preservar os produtos suscetíveis a condições ambientais, garantindo assim a qualidade dos itens armazenados.

Como deixar seu galpão logístico seguro contra incêndios?

Por conta da presença habitual de substâncias químicas, materiais inflamáveis, equipamentos elétricos, dentre outras fontes potenciais de ignição, os galpões de logística apresentam um grande potencial para a ocorrência de incêndios.

O espaço de armazenagem precisa de medidas eficazes de segurança para prevenir e lidar com possíveis incêndios e evitar danos significativos.

Tomando as medidas preventivas necessárias, é possível mitigar a ameaça de incêndios em seu galpão.

Para isso é importante seguir as normas técnicas brasileiras que estabelecem os requisitos para projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas de proteção contra incêndio em edificações.

A norma cita também os equipamentos essenciais para a prevenção e o combate a incêndios.

Configura abaixo os equipamentos ideais para compor um sistema completo, segundo a NBR 17240:

  • Detectores de fumaça

Os detectores de fumaça servem para alertar prontamente sobre a ocorrência de um incêndio, proporcionando assim um intervalo de tempo para evacuar o local com segurança e tomar as medidas necessárias para controlar o fogo.

Eles são empregados para monitorar ambientes que possuem materiais cuja propriedade inicial de combustão resulte na geração de fumaça.

No caso de galpões logísticos, é recomendado que o alarme seja acionado por meio da central de alarme.

Existem dois tipos de detectores de fumaça, sendo eles: o convencional, ideal para espaços menores, pois cobrem apenas áreas específicas; e o endereçável, ideal para fábricas e grandes instalações, pois identificam a exata localização do incêndio.

A NBR 17240 sugere também outra opção para espaços onde a combustão inicial gera principalmente calor e pouca fumaça: os detectores de temperatura. Eles possuem um sensor que é acionado quando a temperatura ambiente atinge um valor pré-estabelecido ou sofre um rápido aumento, indicando a possível presença de fogo.

Esses dispositivos também são apropriados para ambientes com vapor, gases ou abundância de partículas de suspensão, nos quais os detectores de fumaça podem ativar alarmes de maneira inadequada.

  • Centrais de Alarme

As Centrais de Alarme desempenham um papel crucial na sinalização de incêndios, pois são responsáveis por receber sinais dos detectores de fumaça, acionadores manuais e outros dispositivos de detecção de incêndio.

Após receber o sinal, a Central aciona os alarmes sonoros e visuais, alertando para a presença de fogo e indicando a necessidade de evacuação do edifício.

Além disso, a central pode enviar alerta para dispositivos móveis ou até mesmo contatar automaticamente o Corpo de Bombeiros.

  • Porta corta-fogo ABNT NBR 11742

Porta corta fogo 11711 e 11742

Portas corta-fogo, também conhecidas como portas de emergência, são fundamentais entre as medidas de segurança contra incêndios em galpões logísticos.

Projetadas para resistir ao fogo por uma certa quantidade de tempo, elas impedem a propagação de fogo de um compartimento para outro, funcionando como uma barreira.

A porta corta-fogo ABNT NBR 11742 é fabricada com materiais resistentes ao fogo e costuma possuir vedação o suficiente para bloquear fumaça e gases. Além disso, fecham automaticamente e devem estar conectadas a barras antipânico.

As Portas Corta-Fogo possuem diferentes modelos, de acordo com o tempo que resistem ao fogo.

Esses modelos são conhecidos como P30, P60, P90 e P120. O valor indicado nos modelos indica o tempo mínimo que a porta é capaz de suportar as chamas.

  • Extintores de incêndios

O extintor é um equipamento de segurança projetado para conter e apagar incêndios em estágios iniciais e impedir que se espalhem.

Ele libera um agente extintor, que pode ser água, espuma mecânica, pó químico, dióxido de carbono (CO2) ou outras substâncias químicas, de acordo com o tipo de fogo.

Diferente do que se costuma difundir, não é qualquer tipo extintor que pode ser utilizado para controlar qualquer tipo de fogo. Cada tipo de material que gera uma combustão necessita de um agente extintor específico.

Analisando os materiais contidos no seu galpão, será possível encontrar o melhor extintor para a sua instalação.

  • Sprinklers

Os sprinklers, ou “chuveiros automáticos”, são dispositivos que, ao detectar o aumento de temperatura no ambiente, liberam água em uma área abrangente para controlar e extinguir o fogo antes que se propague.

Assim como os detectores de fumaça, os sprinklers são acionados automaticamente, sem a necessidade de intervenção humana.

  • Compartimentação horizontal

A estratégia de compartimentação horizontal representa um sistema de segurança contra incêndios que consiste na divisão de uma edificação em áreas menores.

Esta separação de risco visa manter o incêndio isolado, impedindo a sua propagação para outros ambientes situados no mesmo piso, minimizando a quantidade de material destruído.

A implementação da compartimentação horizontal para garantir a segurança do ambiente pode ser realizada por meio de diversas barreiras, como paredes e janelas corta-fogo, vedadores corta-fogo, dispositivos automatizados de enrolar e portas corta-fogo industriais (conforme norma ABNT NBR 11711).

Essa medida contribui para separar o galpão em setores menores, isolando e impedindo a passagem de fogo, fumaça e calor.

É importante destacar que a compartimentação horizontal é apenas um dos elementos de segurança que devem compor a instalação.

Além das portas corta-fogo industriais, é obrigatório integrar saídas de emergência com portas corta-fogo padrão (norma ABNT NBR 11742) sempre que houver fluxo de pessoas.

A compartimentação horizontal feita com a porta corta-fogo industrial deve ser projetada e executada de acordo com as normas de segurança contra incêndios, sendo regida por diversas Normas Brasileiras (NBRs), como a NBR 14432, NBR 9077, NBR 14608, NBR 11.711 e NBR 11742.

 

Leia também: Portas corta fogo dentro das normas (NBR)

Conclusão sobre combate a incêndios em galpão logístico

Conclusão sobre combate a incêndios em galpão logístico

Implementando as medidas preventivas adequadas, é possível minimizar o risco de incêndio em um armazém logístico.

Por isso, após conhecer os principais equipamentos e suas funcionalidades para o combate a propagação de chamas, é crucial entender quais os modelos adequados para a sua empresa, levando em conta o fluxo de pessoas, a estrutura, o espaço, os materiais e todos os fatores relevantes.

Assim, além de preservar vidas, essas medidas evitarão que pequenos focos se transformem em incêndios de grandes proporções.

Quer fazer a separação de risco do seu galpão logístico com a compartimentação horizontal utilizando a porta corta-fogo industrial? Então entre em contato com a SCALA SCI, uma fabricante de porta corta-fogo. Estamos prontos para atendê-los!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portas corta fogo dentro das normas (NBR)

Portas corta fogo dentro das normas (NBR)

Para garantir a proteção das pessoas que frequentam edifícios corporativos e comerciais, os responsáveis devem aderir rigorosamente às normas regulamentadoras de combate a incêndios, incluindo aquelas relacionadas às portas corta-fogo. Para atender a tais requisitos,...