Prevenção de Incêndio

18/08/2022 | Notícias | 0 Comentários

Prevenção de Incêndio

A prevenção de incêndio pode ser encarada como um conjunto de providências, desde as mais simples, como conservação, lubrificação e limpeza, até as mais complexas, como instalações automáticas de combate a incêndio, sistemas automáticos de detecção ou ainda sistemas inibidores de explosão. Ela está fundamentada no bom senso, experiência e técnica. O bom senso é a faculdade que devemos possuir para analisar e determinar aquilo que constitui irregularidade, representa perigo e ameaça à segurança de modo geral e, em especial, a segurança contra incêndio. A experiência, quanto ao risco de incêndio, baseia-se na prática adquirida mediante as ocorrências que presenciamos ou que chegam ao nosso conhecimento através de informações diversas. Admitindo-se que o bom senso e a experiência sejam fatores indispensáveis a quem se dedica à prevenção de incêndio, passamos a tratar da parte técnica. Tecnicamente devemos considerar a prevenção de incêndio em dois setores distintos:

Prevenção Construtural

É aquela que trata da legislação e das medidas preventivas de incêndio, relacionadas com a construção de prédios, e o planejamento dos meios fixos de prevenção taticamente neles instalados, conforme a área, altura e ocupação, com a finalidade de evitar o irrompimento de incêndios, combatê-lo em sua fase inicial e retardar sua ação até a chegada dos bombeiros. Têm ainda, o objetivo de dotar as edificações de saídas de emergência estabelecendo uma rota de fuga para o público em caso de ocorrência de sinistro.

Prevenção Operacional

Também denominada prevenção ocupacional, seu objetivo é tratar da aplicação da legislação, normas e instruções relacionadas com o armazenamento de materiais, métodos e processos de utilização de equipamentos e conhecimentos de prevenção a incêndio, bem como da disposição temporária de equipamento e elemento humano em local ou evento, com vistas a prevenir a ocorrência de incêndio. Vista sob o prisma de sua atuação, claro fica ser a prevenção contra incêndio a parte mais importante da “Proteção Pública”, cabendo ao Corpo de Bombeiros responsabilidade enorme em todos os níveis, quais sejam:

A. Instruir o povo sobre as causas dos incêndios e as medidas para combatê-los ou minimizá-los;

B. Fiscalizar efetiva e permanente o cumprimento da legislação pertinente à prevenção de um modo geral. A prevenção contra incêndio deve ser encarada como um processo ininterrupto e, por isso, necessita ser mantida em constante modernização. Para tanto, os órgãos a quem compete desenvolve-la e dentre esses o Corpo de Bombeiros particularmente, devem promover estudos através de estatísticas, levantamento de dados, análise de sistema e equipamentos com vistas a atualização dos processos e normas.

Sistema ou Meios de Prevenção

Conceito Sistema de prevenção compreende um conjunto de instalações destinado à proteção contra incêndio em uma determinada área que, acionado, funciona com auto-suficiência.

Projetados por profissionais competentes, tais sistemas ou meios de prevenção devem variar de acordo com a área a proteger e o risco de ocupação.

Dividem-se em:

a. Meios que retardam a propagação do fogo;

1) Parede corta-fogo Uma parede corta-fogo pode ser definida como uma parede construída para evitar a propagação do fogo. Para que cumpra este desempenho, precisa ter uma suficiente resistência ao fogo, a fim de suportar os efeitos de sua severidade e do seu volume que ocorre nos prédios durante os incêndios e de maneira a constituir-se numa total barreira à propagação das chamas. Qualquer abertura na parede corta-fogo deverá ser devidamente protegida, para não constituir um ponto fraco que facilite a passagem do fogo. Todas as passagens através das mesmas devem ser constituídas de portas corta-fogo

2) Porta corta-fogo As portas corta-fogo são elementos utilizados nas paredes corta-fogo para proteção de suas aberturas. São utilizadas para separação de risco de incêndio de duas áreas contíguas e em saídas de emergência à prova de fogo e fumaça.

Devem atender às exigências da:

A) Porta e vedadores conforme norma ABNT NBR 11711:2003 (porta corta-fogo de madeira revestida de metal, também chamada porta corta-fogo industrial), que será atualizada, a norma, ainda este ano.

B) Porta corta fogo conforme norma ABNT NBR 11742:2018, que especifica as portas das escadas enclausuradas, à prova de penetração de chama e fumaça.

Porta Corta Fogo fogo Classe

Classe P – 30……….para resistência mínima de 30 min.
Classe P – 60………para resistência mínima de 60 min..
Classe P – 90………para resistência mínima de 90 min.
Classe P – 120…….para resistência mínima de 120 min.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Norma NBR 11742

Norma NBR 11742

Norma ABNT NBR 11742:2018 Porta Corta Fogo A ABNT NBR 11742:2018 especifica os requisitos para portas corta fogo do tipo de abrir, com eixo vertical, destinadas a saídas de emergência. Ela abrange classificação, fabricação, identificação, unidade de compra, conteúdo...

Conheça a NBR 9077 sobre saídas de emergência

Conheça a NBR 9077 sobre saídas de emergência

Acidentes ocorrem quando menos esperamos. Por conta disso, a Norma Brasileira Regulamentadora 9077 (NBR 9077) foi criada para que, na hora do desespero, sejam evitados maiores desastres durante situações emergenciais. A Norma estabelece as condições essenciais para...

Precisa de ajuda? Converse Conosco