Como sobreviver a um incêndio

11/09/2022 | Notícias | 0 Comentários

Ocorre um incêndio no ambiente em que você se encontra, e agora ?, sabe como sobreviver a um incêndio ?

No maior atentado do século 21, as torres gêmeas do World Trade Center levaram consigo quase 3 mil mortos. Outras 8 mil pessoas sobreviveram para contar a história. No centro de São Paulo, os incêndios nos edifícios Andraus e Joelma marcaram a década de 70. O maior deles, Joelma, matou 187 pessoas e marcou a vida de mais de 500 sobreviventes.

Segundo John Leach, especialista em psicologia da sobrevivência e professor da Universidade de Oslo, apenas 10% de nós conseguem imediatamente manter a cabeça no lugar e agir racionalmente em momentos de tensão. Outros 10% surtam e tomam as piores decisões – e dificilmente saem vivos. Os 80% restantes podem congelar de medo e encarar panes do cérebro, mas não estão fadados à morte. Conseguem se controlar e sobreviver. Não dá para saber em qual categoria você se encaixe – a não ser, é claro, que algum imprevisto aconteça.

A atitude mental vale mais do que qualquer ferramenta. Sobreviventes controlam o medo, resignam-se com os acontecimentos e agem. Fazem de tudo para sair vivos. Para manter essa atitude positiva, os especialistas recomendam dicas aparentemente banais, mas que surtem efeito, e no caso de um incêndio residencial recomenda-se:

Antes

– Não fume dentro de casa. Bitucas são as maiores causas de incêndio.
– Se estiver em hotel, peça o quarto próximo das saídas de emergência.
– Deixe as chaves de casa sempre no mesmo local para saber onde encontrá-las.
-Tenha sempre um mapa mental das saídas de emergência. De novo, pode ser que você tenha que se locomover sem enxergar.

Durante

– Feche as portas pelas quais você passou para cortar o fogo.
– Não abra janelas desnecessariamente. Fogo precisa de ar.
– Nunca, jamais pegue o elevador para sair do edifício.
– Não volte para tentar resgatar pessoas. Deixe os profissionais lidar.
– Molhe um pano e coloque sobre o rosto. Isso vai funcionar como um filtro contra os gases tóxicos do incêndio.

Fogo fora

– Se você estiver do lado de fora do incêndio, procure fumaça embaixo da porta e toque a maçaneta. Se estiver quente, não abra. Isso significa que o fogo pode se propagar ao abrir.

Depois

– Mesmo se não houver queimadura visível, vá ao hospital.
– Fumaça a calor podem causar queimaduras pulmonares (de duas maneiras: inalação do calor e queimadura mesmo do tecido pulmonar). Se você ficar uma hora no incêndio, as chances são grandes de você ter desenvolvido uma delas.
– Estima-se que, em 40 m2, o fogo leve de 5 a 6 minutos para ficar fora de controle. Portanto tempo é precioso. Fique sempre próximo ao chão (a fumaça é mais leve que o ar e fica flutuando próximo ao teto.)
– A maior parte das vítimas de incêndio morre asfixiada e não queimada.
– Isso porque, a 75 ºC, a quantidade de oxigênio no ar cai para 10% (é de 21% normalmente). Outro problema é o CO2. Se houver 2% de CO2 no ar, a pessoa morre em uma hora. Se for para 10%, a morte é instantânea.

Depoimentos de sobreviventes Boate Kiss , de como sobreviveram a um incêndio naquela madrugada:

Engatinhando com pessoas passando por cima
“Quando soltaram o primeiro fogo, saí de perto do palco. Cheguei perto dos banheiros e todo mundo correu para perto da porta de saída, e os seguranças trancaram. Eu estava espremida na parede e só consegui escapar porque me puxaram. Fui engatinhando até a saída, com pessoas passando por cima. Estou com muita ardência na garganta e nos olhos por causa da fumaça.”(Shelen Rossi, de 19 anos, que teve alta do hospital na manhã deste domingo, mas ainda sente no corpo os efeitos do ar inalado do incêndio).

Perto da porta de saída
“Nós estávamos em um local perto da porta de saída, então foi mais fácil para a gente poder sair, mas era um corre-corre, todo mundo empurrando, pessoal caindo no chão. [Foi mais fácil sair] só pelo fato de estarmos perto da porta de saída, ali num local que era mais próximo. Quem estava próximo ao palco, do outro lado, não teve condições de sair.”
(Taynne Vendrúsculo, estudante, que viu a fumaça se espalhar de forma tão rápida que apenas quem conseguiu deixar a boate nos primeiros minutos se salvou).

‘Saí arrastada pelo chão’
“Nós olhamos para o teto lá na frente do palco e estava começando um fogo. Foi um amigo nosso que nos mostrou, aí nós começamos a cair. Minha irmã me puxou e eu saí arrastada pelo chão.”
(Luana Santos Silva, de 23 anos, estudante, que disse que o fogo se alastrou rapidamente pelo interior da boate.

Fonte : Superinteressante e G1

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de ajuda? Converse Conosco